Azeite Virgem Extra

Azeite de excelência
saboreado de todas as maneiras

Benefícios do azeite virgem extra

O azeite é uma substância 100% natural e muito completa que há milhares de anos faz parte da alimentação da maioria dos povos, nomeadamente da dieta mediterrânica, considerada uma das melhores do mundo e, como tal, classificada pela UNESCO, desde 2013, como Património Cultural Imaterial da Humanidade.

No entanto, o azeite virgem extra, quando comparado com as restantes qualidades existentes no mercado (simples, também conhecido como lampante, e virgem), é, sem dúvida, aquele que mais benefícios para a saúde garante, quer cru quer cozinhado.

Isto porque, como não sofre qualquer processo químico na respectiva produção (obtido apenas partir da pressão ou centrifugação da azeitona) consegue manter, por muito tempo, todas as suas propriedades benéficas originais.

Composto até 83% por gorduras monoinsaturadas (reduzem o mau colesterol, LDL) e por antioxidantes (vitaminas E e A, derivados fenólicos – tirosol e hidroxitirosol –, esteróis livres e seus percursores), o azeite virgem extra consegue assim defender as células de agentes externos nocivos (radicais livres).

Ao servir de escudo protector ao organismo, o azeite ajuda a prevenir o envelhecimento em geral, bem como várias doenças – nomeadamente cancro, diabetes ou AVC – que têm graves consequências a nível ósseo, articular, digestivo, sanguíneo, cardiovascular, sistema nervoso, sistema imunitário, pele, unhas e cabelo e resistência do corpo ao frio.

Variedades de azeitona produzida pela Stork Olive Oil

Nas suas três herdades, num total de mais de 1000 hectares de olival, a Stork Olive Oil produz quatro variedades de azeitona, no sentido de diversificar o tipo de azeite virgem extra a granel que comercializa.

De referir que, para garantir o máximo de qualidade, de resistência e das propriedades organolépticas (ligadas aos sentidos, sobretudo aroma e paladar) do produto final, cuja acidez varia necessariamente entre 0,1% e 0,8%, a nossa apanha da azeitona é sempre efetuada na sua fase mais verde.

Como tal, os azeites que produzimos tanto são excelentes opções para serem apreciados crus como para fazerem a diferença quando cozinhados.

Arbequina

Origem: Palestina, mas muita explorada em Arbeca, Catalunha.

Colheita: É a segunda variedade de azeitona a ser colhida.

Características organolépticas: Sabor de intensidade muito suave (frutado leve), pouco amargo e picante, com notas marcadas a tomate fresco e com cheiro a amêndoas.

Benefícios e durabilidade: Azeites muito delicados, dada a sua composição pouco estável a nível de oxidação (teor reduzido de ácido oleico e de polifenóis). Assegura uma boa defesa das células de agentes invasores.

Arbosana

Origem: Francesa.

Colheita: É a terceira variedade a ser colhida.

Características organolépticas: Sabor com intensidade intermédia (frutado médio) a nível de amargo e de picante e com um toque distinto a tomates maduro, chá de camomila ou ervas.

Benefícios e durabilidade: Azeites com bastante estabilidade, integrando antioxidantes, como polifenóis e ácido oleico, de nível bastante satisfatório. Combate eficiente de vários agentes nocivos para a saúde.

Picual

Origem: Natural do Sul de Espanha.

Colheita: Última variedade a ser colhida.

Características organolépticas: Sabor muito forte (frutado intenso), amargo e picante, com notas marcadas a erva, giesta, maçã verde e frutos secos.

Benefícios e durabilidade: Azeites muito estáveis, pois são ricos em antioxidantes como polifenóis e ácido oleico. Excelente proteção para o organismo.

Hojiblanca

Origem: Andaluzia.

Colheita: É das que amadurece mais rápido e a primeira a ser colhida.

Características organolépticas: Azeites com uma intensidade intermédia (frutado médio), levemente picante na garganta, com uma sensação final amendoada e um aroma a erva fresca.

Benefícios e durabilidade: A estabilidade do azeite é razoável, garantindo as suas propriedades antioxidantes por um tempo considerável. Uma barreira muito eficaz contra doenças graves.

NOTA: Vendida sobretudo como azeitona de mesa, pois é grande, tem um sabor agradável e uma textura firme. Só é transformada em azeite quando o calibre (tamanho) é mais reduzido.