Processo de Produção

Um azeite mais autêntico,
saboroso, saudável e duradouro

Garantimos o controlo total de todas as fases do processo

A oliveira, tal como hoje a conhecemos, não é uma árvore natural, mas antes uma versão do zambujeiro, nascida há mais de 5000 anos no Médio Oriente, melhorada ao longo do tempo pelo homem.

Como tal, actualmente, estima-se que existam no mundo cerca de 500 variedades de azeitonas, dependendo as suas características, a nível de paladar e de resistência, de vários factores, nomeadamente do tipo de solo, de água e de processo de maturação (quanto mais verde for colhida melhor é).

A Stork Olive Oil, enquanto empresa portuguesa produtora e vendedora de azeite virgem extra a granel, trabalha essencialmente com quatro qualidades de azeitona: Picual, Arbosana, Arbequina e Hojiblanca.

Assim, ao controlar todas as fases do processo – que engloba a parte agrícola e industrial (lagar) –, conseguimos assegurar ao consumidor final um azeite mais autêntico, saboroso, saudável e duradouro.

Etapas pelas quais passam
as azeitonas da Stork Olive Oil

Plantação e tratamento do olival

  • Preparação cuidada da terra.
  • Escolha mais indicada da orientação solar para o cultivo de oliveiras.
  • Garantir uma drenagem eficiente da água para que o solo não absorva tudo.
  • Plantação de quatro variedades de azeitona para assim diversificar o tipo de azeite.
  • Tratamento adequado das árvores: poda e eliminação de fungos e de insectos.
  • Rega gota-a-gota, pois é mais eficaz (cultura de precisão) e permite uma maior protecção ambiental e redução de custos.

Tipos de cultivo da azeitona

Regime intensivo

  • Semi-mecanizado.
  • Necessita de mais mão de obra.
  • Envolve mais custos.
  • Menor rentabilidade.
  • Danifica mais a azeitona.

Regime super-intensivo

  • Mecanizado.
  • Redução de custos.
  • Permite maior investimento.
  • Rentabilidade muito superior.
  • Melhoria do controlo da saúde do olival e da variedade da azeitona.

Apanha da azeitona

  • Realizada entre Outubro e Dezembro (até antes do Natal).
  • No regime de cultivo super-intensivo a apanha é sempre mecanizada (através de vibração, a azeitona cai num depósito de aço e é transportada até ao lagar).
  • No cultivo intensivo a apanha pode ser mecanizada ou semi-mecanizada (neste caso, como cai ao chão num pano, danifica-se mais e a qualidade não é tão boa).
  • A nível de maturação, apanhamos sempre a azeitona verde e não preta, pois garante um azeite mais resistente e de melhor qualidade.
  • A azeitona Hojiblanca é a primeira a ser colhida, seguida da Arbequina, Arbosana e Picual.
  • Para não perder propriedades, desde que é colhida até que entra no lagar a azeitona não demora mais de 8 a 10 horas.

Tratamento da azeitona no lagar

  • A azeitona quando chega ao pátio do lagar é despejada para um tegão (recipiente de aço de grandes dimensões) e depois inserida numa passadeira rolante para ser higienizada.
  • A azeitona passa, então, por uma máquina sopradora que, através de um vento artificial, a separa de paus e de folhas.
  • Posteriormente segue para moer, bater, centrifugar, limpar, decantar, filtrar e guardar.
  • Na adega do lagar, o armazenamento do azeite a granel é feito em depósitos adequados que mantêm as temperaturas mais indicadas para preservar todas as propriedades do produto.